sexta-feira, abril 13, 2012

"Viciados no passado".

Nos anos 2000, refazer tornou-se uma obsessão: estes são os dias da reciclagem, do remake, da nostalgia como indústria. De Mad Men ou Amy Winehouse às cadeias de retro-food às louças Bordallo Pinheiro, nunca a cultura popular esteve tão viciada na sua própria história.
in Publico
  



Desde sempre que me lembro de gostar de antiguidades, de saber acerca do passado. A minha disciplina favorita sempre foi História (principalmente do século XVIII ao XX). Gosto de filmes clássicos, mesmo os mais antigos a preto e branco. Gosto de romances históricos. As minhas músicas favoritas remetem aos primórdios do Jazz - Louis Armstrong, Ella Fitzgerald, Frank Sinatra -, e do rock - não fossem os The Beatles a minha banda favorita...
Talvez também fosse influenciada pelo meu tio e vizinho que tem uma colecção de antiguidades super variada: desde mobília, louças, máquinas fotográficas, instrumentos agrícolas, rádios, utensílios domésticos, máquinas de escrever... Não descansei enquanto não "roubei" uma daquelas colheres antigas à minha avó, e ainda hoje como sempre com ela quando estou em casa. Há dois anos, depois de meses e meses a pedir, os meus ofereceram-me um rádio vintage nos anos. Foi das prendas que mais gostei até hoje!
Nessa altura, a tendência vintage já se começava a instalar. Na moda, nos estabelecimentos comerciais e nos artigos lá à venda, na decoração, na fotografia... Hoje em dia o velho é moda. Toda  a gente gosta. Dão-se dezenas de euros por um relógio Casio ou por uma máquina de rolo. É cool usar modelitos dos anos 70 e óculos retro. 
Não tenho nada contra, antes pelo contrário! Eu sou daquelas que se perde numa loja de artigos vintage e se tivesse dinheiro saía de lá atafulhada de coisas. Mas a verdade é que sempre gostei, desde pequena, desses pormenores. Hoje em dia, as pessoas gostam porque está na moda. Porque dá um ar 'alternativo'. E tenho pena que seja essa a única razão e que, se daqui a uns anos, estiver na moda o estilo futurista, é ver toda a gente a mudar para esse registo também.
É por isso que não ligo muito a modas, nem a essas tendências... A verdade é que desde que isto pegou moda, prefiro guardar o meu estilo só para mim, e não me arriscar a ser só mais uma. Não quero com isto dizer que sou melhor ou pior que alguém!...apenas penso que seria muito mais proveitoso e rico se cada um de nós tivesse a sua própria tendência, em vez de seguir a ditada pelas massas.

3 comentários:

  1. tão mas tão bem. É bem verdade, a "estandardização das personalidades pela moda" é horrível.

    ResponderEliminar
  2. Eu estudei História na Universidade. Entendo o que dizes. Desde pequena que sou uma apaixonada pela antiguidade, pelos estilos vitorianos. Acho tudo o máximo, bonito de verdade! Mas agora, com esta massificação, está a perder o valor. É por isso que, por mais que os outros os olhem de lado, eu adoro Rastafaris! Têm sempre o seu estilo, não vão em modas nem idiotices, apregoam a paz e não chateiam ninguém.

    ResponderEliminar
  3. Raven! Acreditas que também adoro o estilo de vida deles?! Gosto mesmo... Era tão bom que todos fossem um bocadinho mais assim!

    ResponderEliminar