terça-feira, maio 15, 2012

E até tem razão!

Na semana passada, num jantar entre futuros psicólogos, estava o filho de um psicanalista bastante conhecido. Dizem que filho de peixe sabe nadar, não é assim? E, provavelmente, viver desde sempre na presença de alguém que percebe à bruta do assunto, deu-lhe competências que a nós nos escapam (especialmente a mim, que nem sequer estou efectivamente metida nesse campo da psicanálise e da psicoterapia).
Pois ele, numa tentativa de nos tentar 'ler' (e não interpretem isto como se um psicólogo fosse um cartomante ou qualquer coisa do género - mas a verdade é que aprendemos a ler nas entrelinhas!) poucas horas depois de nos ter conhecido, começou, e bem, a descrever a personalidade dos que estavam presentes. Claro que não fez ali uma descrição detalhada, nem o conseguiria fazer, mas conseguiu desenhar uns traços gerais que, na sua maioria, batiam certo com a realidade.
Chega a minha vez! Eu já preparada para ser interpretada como se de um livro aberto me tratasse e eis que: "Ela não sei... é mais difícil de ler! Vê-se que não entra muito em confronto com os outros...".
E pronto, foi assim. Acho que foi uma maneira simpática de me chamar anti-social, não?!

1 comentário:

  1. Acho essa "leitura" curiosa... mas só te dá um ar mais misterioso.

    ResponderEliminar