quinta-feira, julho 19, 2012

A páginas tantas... #2

As Serviçais - Kathryn Stockett

Acabei ontem As Serviçais. Como já referi várias vezes, gosto mesmo de romances históricos, e este não foge à regra. Dos melhores que já li.
A narrativa transporta-nos para os anos 60, no estado do Mississipi, um dos estados sulistas mais conservadores em relação aos direitos cívicos dos negros. Ao longo da história há referências à KKK, a Martin Luther King e ao seu sonho, contam-se as atrocidades de que os negros eram vítimas, antes de serem reconhecidos como cidadãos comuns. O livro apresenta três narradoras, três personagens que se unem num projecto ambicioso e arriscado que, por distracção, só perto do final reparei que não era mais que o livro que tinha em mãos. São-nos contadas as vidas de Aibileen, Minny e Skeeter (com quem não pude deixar de me identificar), num tom melancólico mas ao mesmo tempo divertido.

Skeeter tem vinte e dois anos e acabou de regressar da universidade a Jackson, Mississippi. Mas estamos em 1962, e a sua mãe só irá descansar quando a filha tiver uma aliança no dedo.
Aibileen é uma criada negra, uma mulher sábia que viu crescer dezassete crianças. Quando o seu próprio filho morre num acidente, algo se quebra dentro dela.
Minny, a melhor amiga de Aibileen, é provavelmente a mulher com a língua mais afiada do Mississippi. Cozinha divinamente, mas tem sérias dificuldades em manter o emprego… até ao momento em que encontra uma senhora nova na cidade.
Estas três personagens extraordinárias irão cruzar-se e iniciar um projecto que mudará a sua cidade e as vidas de todas as mulheres, criadas e senhoras, que habitam Jackson. São as suas vozes que nos contam esta história inesquecível cheia de humor, esperança e tristeza.
Uma história que conquistou a América e está a conquistar o mundo.

Depois, acabei por ver o filme mas... não gostei por aí além. Talvez por o ter visto logo a seguir à leitura e os pormenores estarem ainda muito frescos na memória. O filme acaba por saber a pouco, como uma versão muito reduzida da história. Das personagens, Minny foi a única que correspondeu fielmente à descrição feita no livro (o que acabou por valer o Óscar, o Globo de Ouro e o BAFTA de melhor actriz secundária a Octavia Spencer). A caracterização das outras personagens deixou bastante a desejar. Além disso, foram alterados pormenores, a meu ver, fundamentais e, mudar o final, simplesmente não se faz!

9 comentários:

  1. Eu vi ontem pela primeira vez o filme e adorei , mas tbm sou como tu , se leio o livro primeiro depois acho que o filme nunca corresponde ...

    beijinho

    ResponderEliminar
  2. Os livros são sempre melhores que os filmes na minha opinião... Se eu amei esse filme (já vi uma carrada de vezes) então devo gostar muito mais do livro!

    ResponderEliminar
  3. Eu adorei o filme. O livro deve ser realmente mais completo e pormenorizado e por isso, melhor ainda :)

    ResponderEliminar
  4. Os livros são sempre melhores. Eu caio sempre na asneira de ver depois os filmes e saio sempre desiludida, acho que é mesmo coisa geral.

    ResponderEliminar
  5. tambem quero muito ler esse livro. eu com os filmes por norma tenho a mesma reaccao, acho que imagino sempre melhor. O livro devia ser um complemento ao livro, mas como querem tanto fazer tudo a letra, perdem partes importantes

    ResponderEliminar
  6. Eu só vi o filme e agora dificilmente pego no livro... :(
    Vale a pena?

    ResponderEliminar
  7. Os livros são sempre muito melhores do que os filmes +.+ E , agora que deixaste um cheirinho , fizeste-me ficar com vontade de ler o livro :)

    ResponderEliminar
  8. Palpitame que terás um óptimo gosto literário... todos os livros que aqui apresentas dão-me vontade de ler!

    ResponderEliminar