segunda-feira, julho 23, 2012

I wanna be there when the horses are running

David Fonseca - It feels like something


I wanna be there when the horses are running
I wanna see your smiling face in the morning
I wanna be there when you wake up, you wake up
I wanna hear you when you call me

Não é fácil. Pode ser fácil dizer que é tempo de seguir em frente, mas as palavras sempre foram mais simples do que as acções. A acção implica motivação, implica envolvimento, implica compromisso. Mas, quando se quer seguir em frente, o que é que se faz ao coração acelerado, às borboletas na barriga, à esperança de ver o nome dele naquela mensagem? O que é que se faz quando, mesmo não devendo, a ansiedade toma conta da acção porque ele resolve trazer a irmã mais velha a sair connosco e, (in) conscientemente, há uma necessidade intrínseca de lhe agradar porque, afinal, são as primeiras impressões as mais fortes.
Houve alguém que me disse um dia: “não existe nada disso, de pessoas certas no tempo errado”. Mas eu continuo a achar que há. A sensação que tenho é que nós sempre fomos as pessoas certas. Simplesmente ainda não tivemos o nosso tempo para o ser realmente. Porque, será que serei só eu a valorizar os olhares e os sorrisos trocados, o simples facto de ele dizer “senta-te ao meu lado” ou a forma como, a meio da noite, ele me abraçar com tanta força quando a minha cabeça não parava de rodar? O facto de, na mesma noite, ele falar, pela primeira vez em meses, do que se passou?
Posso ser parva, posso estar a ver tudo errado e posso estar a ver só o que quero ver… mas tudo o que queria era abraçá-lo, dizer-lhe como com ele é diferente porque com ele vou sempre sentir mais do que devia. Dizer-lhe que respeito as prioridades dele porque também eu as tenho e, tal como eu não faço parte das dele, ele também não faz parte das minhas.
Mas o sentimento será assim tão menos puro por colocarmos outras paixões em primeiro lugar? Ambos somos egocêntricos o suficiente para nos colocarmos a nós próprios em prioridade. E sim, talvez isso não seja amor verdadeiro, nunca tive a pretensão de que fosse mas, ainda assim, está lá, existe, pode não ser puro, mas nós também não o somos.

5 comentários:

  1. É bom quando isto acontece "coração acelerado, borboletas na barriga, esperança de ver o nome dele naquela mensagem" é sinal que existe alguma coisa, essa coisa por vezes é definida por amor! E o amor é algo bom e bonito! Se o queres abraçar porque não faze-lo, porque não tentar? Porque não dizer o que sentes?

    Força!

    Bjinhos ;)

    ResponderEliminar
  2. não desistas daquilo que sentes.. diz, arrisca e aproveita esses abraços. :) não tens nada a perder.. e beijinho grande espero que consigas ser feliz querida

    ResponderEliminar
  3. concordo plenamente com os comentários acima! porque é que não falas com ele ou pelo menos lhe vais dando pequenas dicas do que sentes? se ele falou no que se passou é porque, pelo menos, ainda pensa em ti como não sendo apenas uma mera amiga...

    ResponderEliminar
  4. Há incertezas que teimam em nos perseguir. Por mais difícil que seja, não deixes que o medo de sofrer te assole e te impeça de viver. E lembra-te que apenas serás capaz de resolver todos esses conflitos interiores e incertezas se te "lançares" perante o outro e tiveres a ousadia de o confrontar.. E quer dê bom ou mau resultado, terás sempre a certeza de que tentaste, de que tudo fizeste e poderás de uma vez atenuar todas essas incertezas! Acima de tudo, ficares bem contigo própria.. Afinal, é isso que importa! E sim, falar é fácil.. Mas às vezes tudo o que precisamos são uns meros "20 segundos de coragem"! Força.. Beijinho*

    ResponderEliminar
  5. Pessoas certas em tempo errado. Existem e existem mesmo! Eu sou um belo exemplo, querida Jude. Há muito tempo, num tempo já distante, tudo o que relatas acontecia entre mim e outra pessoa. Era esperar sempre ver o nome dele no ecrã do telemóvel, era preferir ir no carro dele, era ele querer que me sentasse ao lado dele, eram brincadeiras, eram os nossos amigos a fazer o filme todo... Era isto e, entre nós, era muito mais. Mas, ao mesmo tempo, para mim, era muito menos! E eu queria mas não queria. e eu gostava mas não gostava. Pessoas certas, o tempo errado. E depois, como as personagens não mudaram mas o tempo vai sempre andando para a frente, vim a descobrir que afinal, eu queria. Eu gostava. E quero. E gosto. E dei-me à oportunidade. Deixei-me levar e estamos juntos... Por isso minha querida, tudo tem um tempo. Às vezes para nos mostrar que sim, outras vezes para nos mostrar que não. Resta que estejas atenta ao que sentes e ao que o tempo te quer mostrar! Mas não deixes que nada te escorregue dos dedos! Sê feliz, que tu mereces :) Força *** :)

    ResponderEliminar