sábado, setembro 22, 2012

Diferenças

Já aqui falei do R., o meu primo de 7 anos. Já aqui falei da L., a minha afilhada de 2 anos e meio. E acho que já aqui falei do G., o meu primo e irmão da L., de 7 anos.
O R. é das pessoas que mais amo, todos sabem disso e não faço por o esconder. Não se trata de ter um preferido. É uma questão de empatia e de proximidade. O R. sempre foi de aparecer em minha casa mal eu chegava das aulas. Os sábados passava-os todos comigo, o que ainda acontece hoje em dia e desde que fui para a faculdade. Damo-nos muito bem e ele é a criança mais amorosa e sensível que já conheci.
O G. sempre foi diferente. Sempre quis ser muito adulto, fazer tudo sozinho. O que não é mau desde que não compensasse essa independência com comportamentos totalmente infantis. Com 7 anos ainda faz birras em que se atira para o chão e grita até lhe fazerem a vontade. É bruto, faz por ultrapassar os limites e são poucas as vezes em que o vejo a portar-se bem sem agredir os outros, física ou verbalmente. É uma criança frágil também, que anseia por agradar mas que, simplesmente, não consegue! Acaba sempre por "estragar" tudo, por mais vezes que seja avisado.
Quantas vezes é que vi o R. a fazer uma birra destas?! Zero!
A L., estando na idade em que imita tudo o que vê, está a ficar igual ao irmão. Além disso, a educação que têm em comum não é a mais correcta. Se os pais utilizam chantagem para conseguirem que eles se comportem de determinada forma, é óbvio que as crianças vão aprender esse comportamento, tornando-se em pequenas interesseiras. A L. já o é, o G. já o é. Só fazem o que lhes é pedido se tiverem algo em troca. São mal-criados e isso eu não suporto. Dou confiança, brinco mas, a partir do momento em que vejo que se estão a fazer maldades de propósito, também não sou meiga. Não se podem subestimar essas atitudes.
Gosto muito de todos eles, isso não está em causa. Mas há uma diferença entre estar com uma criança com quem se conversa e se brinca calmamente e outra que grita, esperneia e faz chantagem.
Isto tudo para vos dizer que a mãe do G. e da L. anda de trombas comigo porque o R. está mais tempo comigo e porque eu "só me lembro do R." - o que não é verdade. Há pouco disse-lhe para os deixar comigo amanhã e ela respondeu-me com um "logo se vê". Ok,  então logo se vê! O R. está comigo mais vezes porque vem ter sozinho a minha casa. O G. nunca teve autorização para vir para minha casa sozinho a não ser quando a mãe me liga antes a dizer "ele está a descer" (eu moro na casa abaixo!!). O R. não amua quando lhe digo que não pode jogar no computador. O G. vem para minha casa precisamente porque quer jogar computador! O R. diz-me que teve saudades minhas quando eu venho de Coimbra. A L. não me dá um beijo mesmo quando eu chego e lhe tento dar um.
Além disso, se não for eu a ir a casa da minha afilhada visitá-la, são raras as vezes em que a mãe a trás. E depois ainda ouço bocas como "a madrinha não te liga nenhuma!". Não é fácil lidar com pessoas infantis, nunca sabemos como lhes agradar!

2 comentários:

  1. ohh .. n suporto crianças assimm mas pior sao os pais!! :S possa k seca!!!
    ***********

    ResponderEliminar
  2. Há pessoas realmente que não sabem educar as crianças da melhor maneira, mas quando as crianças crescerem pode ser que mudem! O R. parece-me uma criança linda de todas as maneiras ;)

    Bjinhos***

    ResponderEliminar