quinta-feira, setembro 06, 2012

Já vos mostrei os lugares...

...mas não vos falei das pessoas com quem partilhei os meus dias em França. Conhecer outros locais significa, também, conhecer as suas pessoas e, essa, é uma parte tão ou mais importante.
Os dias que lá estive foram passados em casa de família. Na realidade tive muita sorte. Não gastei nada com as viagens - para lá fomos de carro e o bilhete de avião foi um presente do J.. Não gastei dinheiro em estadia nem em alimentação porque fizemos as refeições sempre por casa e, como é óbvio, nunca nos deixaram pagar nada. Os únicos euros que gastei foram para os petits dejeneurs na pâtisserie, nas entradas da piscine e nalguns souvenirs que trouxe para os amigos e para a família.
A família francesa que acolheu os meus primos quando emigraram é uma simpatia. O F., a M., e o B., filho de ambos.
O F. tem à volta de 70 anos. É alto, elegante, com o cabelo todo branco. Tem uma expressão séria e rígida. Quando o conheci chegou mesmo a meter-me um certo medo, pelo que me senti obrigada a comer bolachas TUC e a beber sirop até mais não - sempre que dizia que não queria mais ele mantinha a taça estendida e olhava-me com um olhar muito demasiado profundo! Com os dias percebi que era a sua maneira de ser e que, no fundo, era a sua forma de ser hospitaleiro!
A M. é baixinha, rechonchuda, uns 15 anos mais nova que o marido. Tem o cabelo curto e com madeixas louras. Umas bochechas rechonchudas e vermelhas. Quando me apresentaram soltou um "Oh, c'est très belle!", que me fez simpatizar logo com ela, mesmo não percebendo muito de francês!:p ahah
O B., o filho deles, é um autêntico "málucô" - como se auto denomina. É alto, com um porte atlético, louro, olhos azuis, de óculos. Passa o tempo na palhaçada, a dizer piadas, a cantar alto, a fazer sons estranhos só porque sim! É apaixonado pelas montanhas, que já conhece como a palma da mão. Foi ele que nos levou a conhecer o Mont du Salève. Fez 19 anos enquanto lá estávamos, no mesmo dia em que o R., o marido da minha prima, também comemorou o aniversário.
Por simpatia, nesse dia fiz um bolo de iogurte, que me valeu um F. muito gentil, a dizer-me que o bolo estava très bon e que eu era boa pour marier. Se levou o comentário do pai a sério ou não, não sei. Mas dias mais tarde o B. achou por bem, durante uma viagem de carro, dizer à D. (a minha prima de 8 anos) para me perguntar se eu casava com ele. Ela serviu de intérprete e, quando me traduziu que ele queria ter seis filhos, tive de, simpaticamente, rejeitar a proposta! Seis filhos?!!! Ninguém quer ter seis filhos! Vá, ele não se mostrou triste com a recusa, continuámos amigos e, na viagem de volta, já ele estava a baixar o espelho do lado do pendura para olhar para mim e me dizer (num francês que me foi depois traduzido pelo J.) que, com o espelho assim, me podia ver melhor! C'est pas possible!
Bem, no último dia, fomos a casa deles, despedir-nos. O F. chegou-se a mim, pegou-me nas mãos e senti o que percebi ser uma nota. Disse-me em inglês que não era muito, mas que era para me ajudar com o novo ano de faculdade. Agradeci o que pensei serem 10 ou 20 euros - como quando a nossa avó nos dá cinco euros e diz que é para comprármos um bolo! Quando chego ao carro, tiro a nota do bolso e deparo-me com cinquenta euros. Digo-vos já que não é muito comum ter assim 50 euros na mão! Os franceses devem ser muito ricos, para esbanjarem assim dinheiro com alguém que conhecem há uma semana! Ou isso, ou ele quer mesmo que seja nora dele e estava a tentar comprar-me! ;p
A esses, somaram-se mais vinte, ofertados pelo meu tio suíço no dia em que nos levou ao aeroporto de Genève. Portanto, fui de férias e ainda ganhei dinheiro. Não é para todos! E é por isso que, amanhã, tenho dinheiro suficiente para me por a caminho do Avante e aproveitar os últimos cartuchos destas férias! ;)

5 comentários:

  1. Estou a ver que passastes uns dias maravilhosos em França...
    Seis filhos é dose :)

    aproveita bem o resto das férias..

    kisses***

    ResponderEliminar
  2. Parecem ter sido uns dias animados ;) E ganhar dinheiro nas férias não é mesmo para todos! Bjinhos**

    ResponderEliminar
  3. Foram umas boas férias então :)
    Diverte-te no Avante!

    ResponderEliminar
  4. Oh Jude o moço ficou enamorado... Ohoh. ;)

    ResponderEliminar
  5. Eu começo a achar que isso de dar dinheiro às visitar é comum noutros países europeus (infelizmente, como vivemos em Portugal, isso seria impraticável xD). Digo isto porque, quando fui passar férias com os meu tios, na Alemanha, houve um dia em que fui com a minha tia e a minha prima a casa da vizinha da frente. Uma tarde passada a lanchar e a conversar e, ao vir embora, também me deram dinheiro! :)

    ResponderEliminar