sábado, fevereiro 02, 2013

Back in time.

Chateia-me mesmo muito não ter tempo para as minhas pessoas. Sim, para as minhas... porque para algumas prefiro mesmo não ter tempo. Ultimamente tenho sempre que fazer e, entre fins-de-semana em que não venho a casa e fins-de-semana em que venho a casa mas tenho relatórios para escrever e artigos para ler, acabo por não ter tempo para aqueles que mais se ressentem com a minha indisponibilidade - a minha afilhada, o pequeno R., a minha mãe... E os sábados à noite que antes eram sinónimo de juntar os amigos todos no lugar do costume, agora não passam, muitas vezes, de noites iguais às outras. E, mesmo quando ainda quatro ou cinco de nós que conseguem tirar umas horinhas para aparecer por lá, não é a mesma coisa, porque funcionamos como um grupo, uma família emaranhada interdependente... se há alguém em falta, essa falta faz-se sentir. E hoje vai ser assim. É o H. que não está cá, o B. e a R. que o foram visitar este fim-de-semana, a M. que vai jantar com o namorado, o J. e a L. que ficaram em Lisboa, a S. que está cá mas não pode ir... enfim! São as nossas vidas que mudam, porque crescemos, porque ganhamos responsabilidades, porque temos compromissos, não mais importantes mas, naquele momento, mais essencial. 
E sim, às vezes, dá vontade de voltar no tempo, de voltar a ser adolescente e irresponsável, de ter tempo para tudo e não querer saber do amanhã... É verdade! Mas, ainda assim, apesar de todas as dificuldades, que são muitas, não voltaria atrás e não trocaria a minha vida agora pela vida que tinha há 5 ou 6 anos. Há momentos que gostaria de prolongar e até de reviver... mas sei que há muitos mais à minha espera no futuro. No meu futuro e no das minhas pessoas.


9 comentários:

  1. Jude, faço das tuas as minhas palavras, é tal e qual eu, embora eu não esteja a estudar, há sempre coisas que acontecem, não tenho tempo e muitas vezes por saber que não é como antes não me apetece. e os sábados tornam-se dias como os outros.. responsabilidades acrescidas

    beijinho

    ResponderEliminar
  2. é completamente normal estarem todos mais crescindinhos e terem as próprias responsabilidades, e se não for agora, vão estar, mais cedo ou mais tarde, juntos, tal qual como família que são :)
    era bom poder fazer uma pausa na vida, oh se era...

    ResponderEliminar
  3. O tempo é sem dúvida uma das coisas mais preciosas que temos.. E saber aproveitá-lo ao máximo será sempre um dos maiores segredos da vida! Que continues sempre a pensar dessa forma pois esse será o único modo de sermos felizes: guardar o passado e viver o presente!

    Beijinho*
    :)

    ResponderEliminar
  4. Também tenho um grupinho de amigos e acontece tal e qual aquilo que tu dizes. Apesar de querermos, já não é possível juntarmo-nos todos os fins de semana, ou porque uns estão na cidade onde estudam, ou porque outros têm de trabalhar, ou porque alguns têm outras coisas para fazer e não podem...
    Tenho imensas saudades do tempo do secundário!

    ResponderEliminar
  5. Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades...é mesmo assim, faz parte...o que não significa que a amizade acabe!

    ResponderEliminar
  6. Já tenho as perguntas do Liebster Award :)
    http://pamwords.blogspot.pt/2013/02/nomeada-para-o-liebster-award-4.html

    ResponderEliminar
  7. Felizmente ou infelizmente faz parte da vida. Mas vais ver que umas coisas acabam por compensar as outras. O pouco tempo que tens agora para os teus, será uma boa recompensa amanhã. Custa, é verdade, mas um dia vais sorrir pelo esforço que fizeste. Além disso, pensa que, muitas vezes, é melhor ter tempo de qualidade do que de quantidade. ;)

    Beijinho :)

    ResponderEliminar
  8. O tempo passa e nós vamos crescendo...há pessoas que ficam e outras por várias razões deixam de existir ou vão desaparecendo das nossas vidas! É o ciclo da vida, temos sempre que tentar pensar positivo e seguir em frente o mais feliz possível =)

    ResponderEliminar
  9. É a evolução não é? É inevitável quase! Mas uma coisa é certa, isso não quer dizer que os sentimentos desapareceram. É uma forma mais madura de viver as relações!
    Lembro-me bem de ter sentido o choque na altura que comecei a trabalhar mas a adaptação foi uma questão de tempo.
    Força sim?
    Beijinho

    ResponderEliminar