segunda-feira, março 04, 2013

Porque, às vezes, apetecia-me chegar a casa e tê-lo à minha espera...pronto para me abraçar noite fora.


Gosto de jogar. De ser livre. Tenho um trabalho (...) que me agrada e que arranjei sozinha. Sinto-me feliz e orgulhosa em mim, mesmo quando faço compras e empurro o carrinho do supermercado. Se me dá na gana, à noite, saio; senão fico em casa a ler ou a ver um filme ou a fazer um petisco para mim ou para os amigos. Às vezes, ponho a mesa, ou então sento-me no chão, encostada ao sofá. (...) Não tenho por que discutir. Sou independente. Defenderei essa situação com todas as minhas forças. Sempre. No entanto, por vezes, também tenho necessidade de um abraço (...). Um abraço que me faça sentir protegida, embora saiba proteger-me sozinha. Sou capaz de fazer as coisas de que preciso, mas às vezes gostaria de fingir que não, só pelo prazer de levar alguém a fazê-las por mim.
O dia que faltava, Fabio Volo

8 comentários:

  1. muito honestamente, também há merdas que tenho saudades! possa... agora meteste-me a pensar nisso!

    ResponderEliminar
  2. neste momento não quero nenhum abraço. porque nenhum abraço vem sozinho. neste momento não estou pronta para confiar. talvez volte ao normal :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vais voltar com certeza! Quando encontrares a pessoa em quem podes confiar! :)

      Eliminar
  3. Tive (exactamente) este pensamento ontem...

    ResponderEliminar
  4. Já senti mais falta desse abraço...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também não sinto sempre... mas há dias em que me dá para isto...

      Eliminar