segunda-feira, outubro 14, 2013

Crónicas do entreacto.

Dou por mim surpreendida ao ver que já passou um mês desde que terminei o curso. Não são tempos fáceis estes. Muitos, talvez quem ainda por aqui não passou, podem achar que tenho todo o tempo do mundo para descansar, para pôr em dia assuntos pendentes ou até mesmo para não fazer nada e me sentar, descontraída, a ler um livro. Mas não é assim. Este é o entreacto. Oficialmente, já não estudo, mas tampouco sou trabalhadora. No outro dia, num questionário em que tinha de indicar a minha profissão, fiquei sem saber o que dizer. Não sou estudante, mas também não sou psicóloga. Também ainda não me considero desempregada... afinal ainda não tive emprego. Não sei bem descrever o sentimento que me trazem estes dias intermédios. Passo-os a enviar currículos e a não obter respostas. Sinto que todas as minhas competências são postas em causa ainda enquanto leio o anúncio. Há sempre qualquer requisito que não preencho e, se preencho, tenho de ter algo que o prove ou é como se não existisse. O que aconteceu à palavra de honra? Penso em tudo o que poderia fazer, tudo o que poderia tentar, mas sinto-me presa não sei bem a quê, que não sei bem explicar. Tem-me valido o facto de continuar a ter que trabalhar na área a que me fui habituando no último ano. Tenho um artigo para escrever até ao final do mês e, entretanto, submeti um abstract para um congresso que acontecerá no ano que vem. Porque não quero estar parada neste entreacto, as minhas poucas economias vão sendo gastas em cursos e formações. Há uma semana atrás deveria ter estado no Hotel Tivoli em Lisboa, num curso que queria muito fazer mas que acabou por ser adiado. O próximo passo será o CCP, este mês e o próximo, e estou a pensar também num curso intensivo de inglês, já que o meu certificado da Faculdade de Letras de pouco me serve. 
Tenho percebido que é fácil deixarmo-nos adaptar à situação do nada fazer, principalmente quando não se vêem muitas saídas... cabe-nos a nós criá-las.

5 comentários:

  1. Há pessoas que não conseguem perceber, mas o entreacto, como lhe chamas, é das coisas mais complicadas de se lidar. Principalmente quando se prolonga por mais tempo do que o suposto.
    Boa sorte :)

    ResponderEliminar
  2. é muito complicado esse tempo jude, eu percebo-te... desejo-te muita sorte, força e esperança... no entanto não pares! beijinho bom

    ResponderEliminar
  3. Espero que encontras emprego rápido :)

    ResponderEliminar
  4. O meu maior receio é mesmo esse... acabar o curso e ficar nesse entreacto, sem saber o que me espera... mas é só uma fase que a maior parte das pessoas passa... o importante é não te deixares ir abaixo e que continues sempre a sentir-te útil! Há-de chegar o TEU dia, acredita nisso :) Beijinho

    ResponderEliminar
  5. São tempos de incerteza, mas trarão novidades em breve, vais ver. Confiança no futuro!

    ResponderEliminar