sábado, fevereiro 08, 2014

Escrever.

Ontem, na última consulta do dia, atendi uma miúda que vinha com uma neura tal que se recusou a falar. Inicialmente gritou comigo, faltou-me ao respeito e rogou pragas a mim e ao trabalho que era previsto fazermos. Por fim, informou-me com maus modos que não abriria mais a boca. Mantive a calma e peguei numa folha de papel e numa caneta. Respeitei a decisão dela de não falar e escrevi a primeira questão. Ela, ainda desconfiada, leu, aceitou a caneta e escreveu a resposta. Se inicialmente a escrita era rápida e a letra grande e carregada, passados alguns minutos começou a ser mais suave e vagarosa. Passado mais algum tempo começou a esboçar alguns sorrisos em resposta aos meus smiles mal desenhados. Acabou por escrever um pedido de desculpas e foi embora tranquila e relaxada. Esta é a prova de que a escrita é realmente terapêutica. E a razão pela qual às vezes me basta vir até aqui escrever nem que seja só uma frase para organizar os sentimentos e me sentir melhor. Não interessa que não se digam as coisas em voz alta e que impere um meta-silêncio. Porque, enquanto escrevemos, as nossas vozes continuam a ouvir-se bem alto e isso às vezes vale muito mais!


6 comentários:

  1. Contornaste tão bem a situação!
    E concordando uma vez mais contigo, "às vezes vale (mesmo) muito mais!".

    ResponderEliminar
  2. Querida Jude, acredito que para além da escrita, tu estás a tornar-te numa grande terapeuta.
    Que sorte dessa rapariga em ter-te .
    Um beijinho

    ResponderEliminar
  3. Tão verdade... Acho que tem sido o meu maior mal nos últimos tempos não escrever! Bom fim de semana =)

    ResponderEliminar
  4. Olá. Descobri o teu blog agora e penso que sejas psicóloga (desculpa, ainda não li os restantes posts). Se sim, gostei muito da maneira que 'contornaste' um possível problema.
    Durante muitos anos, eu fui uma miúda fechada e reservada, e só um papel e uma caneta me libertavam. Agora já sou capaz de me expressar melhor, mas durante muito tempo deixei de escrever.
    Este ano decidi criar um blog e o amor pela escrita voltou. Sem dúvida que é um momento terapêutico!
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  5. Escrever é mesmo uma terapia, para mim sempre foi! Conseguiste contornar a situação de uma forma espectacular!

    ResponderEliminar