quinta-feira, fevereiro 27, 2014

sorting out feelings.

Às vezes dou por mim a pensar que devia estar mais incomodada. Penso que, talvez, o que eu sinto não seja assim tão forte. Penso que se gostasse estaria a sofrer desalmadamente. Penso que talvez não seja ele e possa ser apenas a ideia dele. Penso, penso e penso. Mas depois há dias, como hoje, em que sou mais pequenina por não receber a resposta. Em que me imagino naquele lugar com ele. Imagino o presente e o futuro e como faria sentido. Em que dou uma de forte e me pergunto porque não posso ser eu. E, depois, penso também que talvez seja mesmo real aquela história do quem ama deixa ir e que, se for mesmo assim, estou totalmente lixada. 

5 comentários:

  1. Uma das formas de lidar com a tristeza é ficar apática, uma das formas de sobreviver às coisas é desvalorizar o mais possível, mas tu sabes isso tudo porque percebes muito mais de psicologia que eu, por isso resta-me desejar-te muita força e muita sorte :)

    ResponderEliminar
  2. Querida Jude, daqui te fala a 'cota' que te diz, com a sabedoria resultante da experiência e idade, que por vezes pensamos demasiado. Relativiza e amenizarás esse coração. E aquilo que tiver de ser, será! Sim? Um beijinho e um xi que também preciso por estes tempos

    ResponderEliminar
  3. Por vezes, a tristeza o o desespero vêm depois da "indiferença"... O conselho (pequenino) que te posso deixar é para dares apenas a mesma importância que essa pessoa te dá a ti...

    ResponderEliminar
  4. Tu é que sabes o que sentes, mas que tal pensar em inverter a história?
    Sê tu quem deixa ir, deixa-o ir... Se ele gostar mesmo, ele volta, e sozinho!

    ResponderEliminar
  5. Gostas da ideia dele, do que pensas que ele é e poderá ser, do que te poderá dar e demonstrar. Mas lembra-te: o Amor engana, cria ilusões facilmente. Foca-te nas acções, friamente, no que realmente ele te faz e dá. Não no que poderia dar-te.

    ResponderEliminar