sexta-feira, maio 02, 2014

sorting out feelings.

E num instantinho o feriado passou e amanhã é, novamente, dia de trabalho. Hoje também o foi, de certo modo. Trabalho escolhido e planeado por mim... o que me sabe sempre bem porque, não querendo deixar de aprender, há que arranjar tempo e espaço para continuar a estudar. Hoje foi o que fiz e, enquanto via da janela o dia a terminar, bateu-me uma certa nostalgia. Se calhar até foi mesmo saudade. Saudades dos tempos de faculdade, das tardes e fins-de-semana que passava a estudar, a ler e a escrever. Senti saudades da A., com quem partilhei tantos bons momentos na nossa casa em Coimbra. Aqui, nesta casa, não é a mesma coisa. Damo-nos bem e passamos bons momentos, mas não há conversas sobre a faculdade, sobre os colegas e os professores, sobre as saídas, sobre os encontros, amores e desamores. Não há noites de pipocas e filmes no sofá, não há jantares vegetarianos nem pequenos-almoços em conjunto e com boas conversas. O tempo vai passando e às vezes nós andamos um pouco mais devagar do que ele. 


4 comentários:

  1. também tenho saudades de dividir casa com as minhas amigas. Não foi sempre cor de rosa, mas fui muito feliz com aquelas duas tótós :)
    Quanto à última frase, não podia concordar mais: o tempo passa depressa demais e eu estou fora de ritmo!

    ResponderEliminar
  2. Oi Jude, bom dia! encontrei seu blogue por meio de uma entrevista que concedeste. E através de teu blogue já encontrei outros também do meu interesse. Pretendo ir estudar Psicologia na Universidade de Coimbra. O que você pode me falar dessa Universidade. Os professores são bons? tem aula de manhã e a tarde todos os dias? Como é a empregabilidade? E outra informação importante: sou estrangeira. Sabe me dizer algo de como é o preconceito com estudantes brasileiros. Desde já, obrigada. Seu blogue é lindo, pouco a pouco estou lendo todo.

    ResponderEliminar
  3. " O tempo vai passando e às vezes nós andamos um pouco mais devagar do que ele." Grande, grande verdade esta... Por vezes, também sinto essa nostalgia e saudades das pessoas e dos momentos...e é aí que me apercebo que já passou tanto, tanto tempo, que está tudo tão diferente...

    ResponderEliminar
  4. Chegamos a uma altura da vida em que parece que ficamos deslocados. Algo nos ultrapassou. Pode ser a cidade em que vivemos que tem uma energia diferente, os nossos amigos de toda a vida que começam a ter ideias diferentes, muito diferentes das nossas, ambições diversas ou até nós, que crescemos em certos episódios da vida e deixamos de sentir que pertencemos às gentes de antes.

    ResponderEliminar