sábado, setembro 20, 2014

sorting out feelings.

Que saudades de passar por aqui! Ando ausente há duas semanas. A primeira semana por um bom motivo, a segunda nem tanto. A primeira semana foi um semana extraordinariamente boa. Estive num congresso e dei por mim rodeada de pessoas inteligentes, cultas, com vontade de aprender e de ensinar. Tive oportunidade de falar com e para essas pessoas, tive oportunidade de criar contactos com as pessoas que mais me impressionaram e aprendi, aprendi muito e senti-me como peixe na água. Por mim tinha ali ficado mais uma semana inteira, só pelo gosto de aprender e de me enriquecer humanamente, ou não fosse esse um dos propósitos da minha profissão.
As minhas chefes, lá está, o costume... é óbvio que não têm essa percepção e esta semana deve ter sido a semana que mais me custou a passar aqui. Não só porque vinha de um ambiente em que me senti tão bem, mas porque elas chegaram ao ponto de colocar como tarefas que me competem distribuir panfletos à porta das escolas e, pára tudo, fazer limpezas! Com horário estipulado semanalmente e tudo. Não são as coisas mais amorosas deste mundo? E acalme-se quem achar que eu tenho problemas em fazer limpezas. Aqui sempre o fiz porque quis. Quando via a M. a limpar, obviamente que não ficava sentadinha a olhar para ela, armada em doutora. Mas chegámos ao cúmulo de isso ser parte integrante das minhas tarefas e, segundo sei, pelo que consta do meu contrato, eu estou a fazer um estágio de Psicologia e não de mulher-a-dias. Tudo isto, a par da insinuação que não têm mais dinheiro para me pagar dá-me cada vez menos vontade de trabalhar para elas e de vir para aqui todos os dias. Felizmente, esse problema pode estar prestes a ser resolvido e, no final deste mês, posso já estar em condições de sair daqui de uma vez por todas. E isso deixa-me com um bocadinho de esperança. Não quero saber de dinheiro, de ordenado, quer saber de bem-estar e de equilíbrio. Quero sentir-me bem, quero sentir-me realizada, sentir que sou valorizada. Isso, para mim, vale muito mais. 

2 comentários:

  1. Há quem continue a achar que estagiário combina com escravo. Mentezinhas ridiculas que levam as empresas portuguesas ao estado em que estão.

    ResponderEliminar
  2. :( olá minha querida Jude, não é com muito agrado que leio este teu post... é desmotivador trabalhar assim, o estágio é uma experiência profissional na área para a qual tu estudaste, e no mínimo humilhante e vergonhoso ver o que as instituições fazem, desvalorizam os recursos que têm ..

    beijinho grande, tinha saudades de saber de ti

    ResponderEliminar