sábado, outubro 25, 2014

Um post em forma de agradecimentos.

Ora bem, o tempo anda a passar tão depressa que, quando reparo, já estou completamente alheia ao que se passa por aqui. Isto porque os dias de trabalho terminam sempre tarde. Às oito da noite, quando saio, já só apetece ir para casa, jantar, tomar banho e descansar. A inspiração e vontade para escrever seja o que for não aparece sequer. Nos últimos tempos tudo tem corrido melhor. As chefes, as detestáveis, deixaram de me chatear. De facto, desde que bati o pé, só falam comigo o indispensável. Eu não me importo. Ocupo o meu tempo a trabalhar nos meus casos, a estudá-los e a procurar a melhor forma de intervir. No outro dia o H. perguntava-me como era fazer isso, e o que me saiu foi um "gosto mesmo disto!". E gosto. Gosto mesmo do que faço, de me sentir útil e de saber que a minha acção está a valer a pena. Este ano, apesar de tudo, tenho crescido imenso profissionalmente. Não tenho que o agradecer às minhas chefes nem ao meu orientador, que acabou por me desiludir bastante quando percebi que afinal era uma pessoa fraca, sem palavra, e com competências duvidosas. Tenho a agradecer à sorte, ou à vida, esta oportunidade, claro! Em nenhum momento deixei de me sentir grata. Mas se cresci e continuo a crescer, se sei cada vez mais e se sinto que o que faço vale cada vez mais a pena na vida das pessoas, se sinto que sou competente e os pais dos meninos reconhecem essa competência, devo-o a mim, ao meu esforço, à minha vontade de fazer mais e melhor. E claro, aos meus valores, aqueles que os meus pais me transmitiram, que me fazem continuar a acreditar que o principal papel de um psicólogo é ajudar e facilitar a vida às pessoas. Não é, de todo, fazer dinheiro à conta de um serviço mal-prestado. A minha orientadora do ano passado continua, mesmo este ano, a ser uma referência para mim. Graças a ela aprendi a desenvolver o pensamento crítico e a fazer as coisas com competência e perfeccionismo. Tive de aprender muito por mim própria, continuar a procurar formação mas, sinceramente, gosto que tenha sido assim! Vou ultrapassando barreiras e limites, vou avançando e a verdade é que a vida acaba por ser conivente com a nossa vontade. Felizmente, o futuro não está isento de oportunidades. 


4 comentários:

  1. Gosto imenso de vir ao teu blog porque tu és das pessoas mais sensatas e ponderadas que anda pela blogosfera. Fico mesmo contente que a situação tenha ficado mais ou menos resolvida e que estes últimos tempos não estejam a ser tão infernais. Daqui a uns meses já vais estar livre para procurar outros projectos e vai levar contigo todo o conhecimento e experiências boas que tiveste durante este ano... as partes más vão começar a ficar para trás com o tempo :)

    ResponderEliminar
  2. E são coisas assim que eu gosto de ler :)

    ResponderEliminar
  3. Gostei do que li.. És uma rapariga cheia de força Jude.. Mesmo não te conhecendo pessoalmente sinto que és uma pessoa correcta e lutadora!

    ResponderEliminar
  4. Isto é maturidade. "Tirar o maior bem do maior mal", já dizia Machado de Assis. Não mudes esse pensamento nunca.

    ResponderEliminar