terça-feira, outubro 06, 2015

do feminismo.

Acho que o cavalheirismo deve ter conta, peso e medida. A grande maioria das mulheres querem viver num mundo em que homens e mulheres tenham os mesmos direitos mas, muitas vezes, deixam-se levar por um feminismo excessivo. Há que perceber que a verdadeira essência do feminismo não é afirmar que o sexo feminino é mais importante do que o masculino, que tem mais valor ou que merece mais direitos. É por isso que não gosto de me descrever como feminista, acho que o termo tem uma conotação que não é a mais correcta. Se gosto do cavalheirismo do sexo oposto? Sim! Mostra um carácter que me agrada, mas não faço questão que me abram a porta e rejeito sempre que se oferecem para carregar os meus sacos. Sou capaz de o fazer sozinha. Não fico ofendida nem escandalizada se não se oferecerem para o fazer. Antes pelo contrário. Aqui em casa temos recebido vários camiões com donativos, carregados com caixas que podem ser leves mas também podem ser muito, muito pesadas. Como é muita coisa, é preciso a ajuda de todos. Alguns dos rapazes insistem em dar-me uma caixa leve e eu agradeço a simpatia, mas chega a irritar-me porque parece que sou uma florzinha de estufa. Gosto especialmente da atitude de um dos rapazes que trabalham aqui. Não sei o nome dele, é raro sequer ele falar comigo, a não ser que seja necessário. Mas gosto porque ele dá-se ao cuidado de me dizer quando a caixa é  mesmo demasiada pesada para eu a transportar mas, quando não é esse o caso, não se abstém de me passar qualquer uma. Prefiro que ele tenha o cuidado de perguntar se consigo do que se limite a passar-me as caixas mais leves. Para mim este é o feminismo que faz sentido, ser tratada de igual para igual. Claro que há mulheres, como uma das que veio "ajudar", que agarram num saco de peluches e se põe aos gritinhos porque é  muito pesado. Também há outras que insistem em associar a sua veia feminista ao direito de mostrarem o seu corpo e a sua intimidade. Isso, desculpem, mas eu não consigo entender. Não consigo entender essa onda que anda por aí de mulheres que acham que devem partilhar fotos do seu sangue menstrual como uma forma de garantir a igualdade de géneros. Tudo tem limites, minhas caras. Eu não quero ver o vosso sangue (nem o menstrual nem outro qualquer), tal como não quero que os homens comecem a partilhar fotos do seu sémen depois de se masturbarem! E tal como não consigo compreender isso também não consigo compreender as mulheres que aparecem despidas, por exemplo, em campanhas eleitorais, alegando, mais uma vez, o direito a exibir o seu corpo como uma das conquistas da igualdade de géneros. Isso não se trata de igualdade de géneros. É, aliás, uma afronta àquilo que já foi conquistado pelas mulheres relativamente a esse aspecto. A nudez da mulher só pode ser integrada nessa perspectiva em áreas nas quais ambos os sexos apareçam igualmente despidos ou em causas cuja especificidade do corpo feminino se adequa. Não é o caso das campanhas eleitorais. Se quiserem podem considerar isso um acto de liberdade, sim. É um acto de liberdade, façam o que vos apetecer com o vosso próprio corpo. Mas não venham com a conversa que se despiram pelos direitos de todas as mulheres.

8 comentários:

  1. Ah! Haja alguém que pensa como eu! ;)

    ResponderEliminar
  2. Eu considero-me feminista...e não, não ando por aí a fazer dessas coisas que referes (nem tinha conhecimento de tal!!)... N minha opinião, o feminismo continua a fazer sentido, até porque continua a haver discriminação de género em vários sectores, inclusivé nalguns sectores laborais onde homens continuam a ganhar mais do que as mulheres mesmo desempenhando as mesmas funções...e isso é só o princípio da conversa... Acho que a igualdade de género deveria começar a ser explicada às crianças desde cedo... Quanto à líder partidária que se despiu, isso já é outro assunto. É uma forma de expressão. E uma das coisas que me deixou um pouco irritada é o seguinte: quando é uma actriz ou modelo a posar nua para uma capa qualquer, ninguém diz nada, antes pelo contrário, ficam todos a babar, mas por ser uma mulher da política já é um 'ai jesus'. Mas sim, acho que este caso nada tem a ver com feminismo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, concordo contigo. A igualdade de géneros é algo sério e que deve ser abordado desde cedo. Devemos ensinar as nossas crianças a respeitar todos de igual modo. Quanto à foto, do meu ponto de vista não me interessa a profissão dela. Por mim ela podia tê-lo feito se assim o entendesse em qualquer altura da sua vida. Mas a verdade é o que o fez a pouco tempo das eleições e isso não foi apenas uma coincidência, foi uma espécie de estratégia de marketing, que acabou por falhar.

      Eliminar
  3. Bem, que confusão de ideias que para aqui vai. Feminismo é a igualdade entre géneros. Só e apenas. Alguém, homem ou mulher, dizer que não gosta de se afirmar como feminista é só preocupante e revela que não se deu ao trabalho de sequer procurar a definição do termo antes de escrever um longo texto sobre o mesmo. Todos devemos ser feministas. Feminismo não tem a ver com enaltecer as características de um género em relação ao outro, tem a ver com não negar a igualdade de direitos e oportunidades entre ambos. Reconhecer a menor capacidade física de um indivíduo em particular, nomeadamente nessa situação que relataste de transporte de mercadoria, não significa que se esteja a ser machista. Não vejo problema nenhum em achar-se que uma mulher tem menos força de braços do que um homem (regra geral não é assim?). O problema aí seria se a mulher não pudesse ocupar o cargo de chefia dessa tarefa, por exemplo, precisamente por ser mulher. Um homem pode ser cavalheiro e continuar a ser feminista, tal como uma mulher pode ser educada e cordial sem estar a ser submissa. Se eu pedisse a um homem para transportar por mim uma caixa pesada isso não teria nada a ver com feminismo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando eu digo que "há que perceber que a verdadeira essência do feminismo não é afirmar que o sexo feminino é mais importante do que o masculino, que tem mais valor ou que merece mais direitos", não é equivalente a dizer que o feminismo é, antes, igualdade de géneros? Eu sei bem o que é o feminismo, já li bastante sobre o assunto, com mais atenção do que leste o meu texto. Se reparares, também digo algures que "Para mim este é o feminismo que faz sentido, ser tratada de igual para igual." Quando digo que não me auto-denomino como feminista não é porque não o seja, mas sim porque, de facto, existem muitas pessoas que não entendem a verdadeira acepção da palavra, tanto homens como mulheres.
      Também não leste com atenção a parte em que eu digo que ele se dá "ao cuidado de me dizer quando a caixa é mesmo demasiada pesada para eu a transportar" e que "prefiro que ele tenha o cuidado de perguntar se consigo do que se limite a passar-me as caixas mais leves". Acho que não é difícil de perceber que me estou a referir ao facto de que, enquanto mulher, tenho menos força, e daí ser atencioso da parte dele ter isso em consideração. Só prova que ele próprio vê o sexo feminino de igual para igual, apesar das óbvias diferenças. Isso é ser feminista. Pelo contrário, se um homem se limita a dar-me as caixas mais leves (mesmo que eu aguente algumas mais pesadas) porque sou mulher, apesar de no seu âmago não ser uma má atitude, não posso considerar isso como uma forma de igualdade. Não vejo no meu texto nenhuma frase que possa servir para retirar a conclusão de que um homem cavaheiro q.b. não possa ser feminista,ou que uma mulher educada e cordial é submissa (não sei aliás como é que educação e cordialidade podem ser associadas a submissão - não são características que todos os seres humanos devem partilhar?). De qualquer forma, este é um texto de opinião e obviamente que aceito que não concordem comigo. Prefiro, no entanto, que antes de discordarem leiam com atenção o que realmente escrevi, sem tirar conclusões que não estão lá.

      Eliminar
  4. Isso do feminismo dá pano para mangas, mas em geral concordo com o que dizes.

    ResponderEliminar
  5. Devias ver o filme "The Intern" :) ias achar muito interessante, tendo em conta este posts...

    ResponderEliminar
  6. Já agora... o que pensas sobre estes temas tendo em conta o feminismo:
    Condução de um carro (arrumar e fazer manobras, travar numa descida, banco todo chegado para a frente, andar a 200km/h em recta, mas depois nas curvinhas anda a 10km/h)
    Capacidade 3D;
    Capacidade de argumentação/conversa/indirectas
    Capacidade multitask
    Sensibilidade e bom senso
    PS: tudo em termos geriais e não específicos :)


    ResponderEliminar