terça-feira, abril 05, 2016

saudades de ti.

Sei que não és o tal. O tal vai perguntar como estão as coisas cá por casa, como tenho lidado com esta situação. Vai perguntar como correu o primeiro encontro com o namorado da minha mãe e vai perguntar se estou melhor das dores de que falei de manhã. O tal também vai saber o que dizer quando eu lhe chegar com as minhas angústias, ainda que eu tente desculpar-te por saber que não tens experiências que te permitam saber lidar com estas coisas, e ainda bem. Ou então o tal está só na minha cabeça e tu és perfeito do jeito que és, e és. Não sei se para mim, mas com certeza que és. Quando me dizes que tens saudades minhas, eu também sinto o mesmo. Quando me dizes que ligaste, só porque querias falar 5 minutos antes de ires jogar futebol com os teus amigos, eu fico feliz. Ainda és a primeira pessoa a quem quero contar as novidades, e tu fazes o mesmo comigo. Já não nos tratamos pelos nomes a que nos habituámos e sei que é pelo melhor, ainda que às vezes as saudades apertem e, mesmo sem eles, o nosso discurso deixe perceber um sentimento maior. Não sei se (ainda) é amor, mas sei que te queria aqui e sei que não te queria com mais ninguém, ainda que não me vá chatear se o fizeres. Tenho saudades de ti e das tuas mãos, dos teus olhos azuis e do teu cabelo, do teu cheiro e dos teus braços à minha volta. Não tenho saudades nenhumas do teu humor que não tem piada, mas aguentava-o de bom grado se me valesse um voo rápido, rápido para junto de ti, que me permitisse estar apenas assim, quieta, ao teu lado. 



3 comentários:

  1. A vida não devia separar pessoas que gostam umas das outras, mas se tiver que ser a vida ai voltar a juntar!

    ResponderEliminar
  2. :( não consigo dizer mais nada...

    ResponderEliminar