quinta-feira, maio 05, 2016

sorting out feelings.

Há dois meses em Portugal. Dois meses. A procura pelo meu lugar continua. Tenho acordado sempre cedo, tento aproveitar cada instante dos meus dias. E engraçado porque nem lá fazia isso. Com liberdade de horários, muitas vezes aproveitava para me demorar mais de manhã mas agora, agora que efectivamente os únicos planos que tenho são delineados por mim, apresso-me a começar o dia, na ânsia de o fazer render. Não foram fáceis estes dois meses. E o segundo foi mais difícil do que o primeiro. Talvez porque no primeiro ainda me estava a ambientar, ainda era novidade... e ainda o tinha a ele. No segundo tudo se foi desmoronando um pouco. Às vezes desejo que nunca tivesse ido pois não conheceria agora esta dor. Outras dava tudo para ter escolhido um projecto mais longo e ainda lá estar. Tenho feito tanta coisa por cá, tenho despendido tempo comigo e em mim, a trabalhar para o futuro, mas é difícil concentrar-me. Nunca tinha tido esta sensação que nem sei como explicar. Não interessa o que estou a fazer, há sempre um pensamento em segundo plano que me acompanha, como naqueles dias em que temos uma música na cabeça e não a conseguimos desligar por nada e que, a certo ponto, nos chega a causar angustia por simplesmente não desaparecer. É isso que se passa comigo, todo o dia! Em cada coisa que faço tenho sempre em pensamento as pessoas de lá, as ruas, os lugares, os momentos. É como se tudo estivesse aqui ao lado, que fosse só pegar no carro e aparecer, mas não é, e dou pelo meu cérebro a reviver vezes sem conta situações que vivi lá e que eram a minha rotina. E quando vejo fotos e vídeos que eles vão partilhando, tudo o que consigo pensar é porque é que não fiz mais, não me dei mais, ainda que tenha feito e dado tanto. Desligo todas as notificações, deixo de seguir para evitar o simples facto de ver, mas nem isso ajuda porque está tudo cá dentro e não preciso de ver para me lembrar a toda a hora. 

4 comentários:

  1. Jude depois da experiência que viveste deve ser tão difícil estares de volta, deve ser doloroso ate. Só o tempo de pode ajudar.... :) Concentra-te em ti e a lutares pelo que te faz feliz!

    ResponderEliminar
  2. Depois de uma experiência tão boa, acredito que seja difícil voltar à estaca zero. Mas o caminho agora é para a frente e é aqui. Tens que começar a metalizar-te disso e a desligar esses pensamentos que te prendem a algo que já não volta.

    ResponderEliminar
  3. Se o teu pensamento está lá
    Se o teu coração está lá
    Se tens por lá a tua alma
    Perdida em ruas e edifícios
    A deambular sem rumo
    Porque continuas cá
    Porque não regressas
    Corre atrás da tua alma
    Segue o teu coração
    Pensar, não pensar
    Apenas sentir
    E decidir
    Não chorar, não sofrer
    Somente amar
    E correr

    ResponderEliminar
  4. Força minha linda *


    Hoje é o dia de quem está onde tantas vezes não está mais ninguém! Hoje é o nosso dia: Feliz Dia Internacional dos Enfermeiros

    ResponderEliminar